Boa Tarde papagaiada, hoje no soneka indica vamos falar de mangá. A idéia desta indicação nasceu no cinema. Semana passada fui assistir X-Men e durante os trailers, começou uma seqüência de um filme de ficção científica estrelado por Tom Cruise, que me pareceu a seqüência de oblivion, mas ao analisar melhor o decorrer do trailer vi que era uma adaptação de um mangá que eu havia lido recentemente, com o titulo de ‘No Limite do Amanhã’, uma adaptação do mangá ‘All You Need Is Kill’.

‘All You Need Is Kill’ do original ‘オール・ユー・ニード・イズ・キル’ (Ōru Yū Nīdo Izu Kiru), é uma obra de ficção científica escrita por Hiroshi Sakurazaka e ilustrada por Yoshitoshi Abe. Ela começou a ser publicada em janeiro de 2014 nas revistas Young Jump e Shonen Jump e já ganhou uma adaptação para o cinema americano o que é um fenômeno para a indústria gráfica japonesa.

A história se passa em um mundo pós-invasão alienígena (ao menos é o que se supõe até o momento) e essa raça esta vencendo a guerra contra os humanos que ainda mantém alguma resistência, o personagem principal é Kiriya Keiji, um soldado japonês relativamente covarde e que nunca esteve em combate antes, após um sonho estranho onde ele era destroçado pelo inimigo no campo de batalha, Keiji acorda em sua cama assustado, e a partir deste momento todos os fatos que ocorrem ao passar do dia parece uma espécie de Déjà Vu.

A partir disto, o soldado Kiriya se depara com outra situação de combate e novamente tomba no confronto, adivinha o que aconteceu?, ele acorda novamente em sua cama e esse padrão se repete por 5 vezes, até que o protagonista resolve virar o jogo e usar essa “dádiva” a seu favor usando os dias pré batalha para treinar e aprender novas técnicas para acabar com os mimic’s. Nisso ele conhece Rita Vrataski, estrela combatente do exército americano, que ao que parece também esta no mesmo looping temporal que nosso protagonista. Com ajuda desta aliada muito mais experiente, parece que a humanidade enfim tem uma chance de virar essa guerra.

Como toda boa obra japonesa, a história não é tão simples como o plot inicial mostra, focando o lado psicológico de uma pessoa que viu a própria morte mais de 150 vezes, das piores maneiras possíveis, e quando esse poder deixa de ser uma dádiva e passa a ser uma maldição.

Recomendo todos a lerem essa obra fantástica antes de ver o filme para poder dar seus pitacos na adaptação e poder sair da sala de mal humor pagando de hispter fodão chato como eu faço sem querer sempre quando vou ver algum filme que passou por isso.

Bejos =*

Assista ao trailer do filme

Share This