O Quarto Vivente

O Quarto Vivente
Contra Capa de "O Quarto Vivente"

Contra Capa de “O Quarto Vivente”

Conheci, quase que por acaso, o Luciano Salles durante a sessão de autógrafos de um HQ no qual ele participou.

Enquanto ele escrevia o autógrafo na minha edição, fomos conversando e ele mencionou que tinha outros trabalhos, e que na loja que estávamos tinha uma edição de “O Quarto Vivente”, foi então que comprei mais um encadernado e ganhei outro autógrafo.

De primeiro momento nos deparamos com um publicação fora dos padrões (e gostaria de deixar claro que não é uma coisa ruim), e com um rosto em um traço bem característico logo na capa, sem dar nenhuma dica do que nos espera dentro dela.

Menciono o traço porque o autor tem um estilo muito único, a forma como conhecemos é deixada de lado, dando lugar a uma visão muito distorcida de tudo, em muitos momentos chega a ser bizarro, mas acredito que seja exatamente este a ideia deste tipo de concepção.

 JULIETT-E

JULIETT-E

O enredo narra a história de JULIETT-E, que se passa  em um mundo onde novas divisões territoriais foram criadas e o Brasil, ou melhor, a República Federativa Fraternal do Brasil, acabou acolhendo os franceses, que causou uma mudança cultural e inclusive no idioma.

A tecnologia é de ponta e as pessoas usam uma tela chamada plasmotelas que projetam imagens na frente doa olhos. Uma dose de loucura e um mundo alternativo tornam esta obra única e toca forte no quanto as pessoas ficam focadas no “EU” e não olham ao seu redor.

Não quero entrar muito em detalhe para não dar muito spoiler, mas se você ler, coloque aqui sua opinião e nos diga como se sentiu.

Para mais informações sobre o autor ou quiser conhecer as outras publicações, você pode acessar o site Dimensão Limbo ou mandar um mensagem no Twitter @lucianosalles.

Grande abraço!

Share This