DC e seu futuro no cinema – por Felippe Pirita!

DC e seu futuro no cinema –  por Felippe  Pirita!

poste1Já faz algum tempo que os fãs de quadrinhos da DC esperam por um dos filmes que pode redefinir o universo dos crossovers como conhecemos. Para quem não tem ideia do que é um crossover, vá embora do meu site A-GO-RA!(editado por Seráfa)

O filme dos Vingadores é o exemplo mais recente, onde houve a junção de heróis clássicos como Capitão América, Hulk e Homem de Ferro, com alguns não tão conhecidos pelo público em geral como Gavião Arqueiro, Viúva Negra e Thor. É uma mistura arriscada mas que no geral acaba sendo lucrativa. Eu particularmente não gosto, pois se um filme solo já consegue demonstrar pouco de alguns personagens (o Thor dos cinemas, por exemplo, pouco se compara ao poderoso Thor dos quadrinhos), imagine um filme de uma hora e meia onde são colocados juntos cinco ou seis personagens. Acaba tornando os personagens menos profundos e mais hollywoodianos.

Uma exceção deve ser citada e com méritos: Guardiões da Galáxia. Se houve uma boa surpresa para mim em 2014, com certeza foi esse filme. Ação, humor e características marcantes de cada um dos personagens tornaram o crossover muito mais interessante e imprevisível do que a junção atrapalhada dos Vingadores. Talvez por não conhecer muito sobre os personagens ou pela própria despretensão do público ao ir assistir, o filme se tornou um sucesso de bilheterias (acredito que ainda nessa semana ultrapassou a bilheteria do Homem de Aço).

alexross-justiceleague

E era exatamente nesse ponto que eu queria chegar. A DC, responsável pela criação de super-heróis clássicos como o próprio Superman (citado acima como Homem de Aço), Batman, Flash, Lanterna Verde, confirmou alguns nomes que irão integrar o elenco oficial do filme da Liga da Justiça. São eles Jason Momoa (sim, o protagonista do remake de Conan – O Bárbaro) e Ezra Miller (atuou com Emma Watson em As Vantagens de Ser Invisível). [Ezra Miller como FLASH, vá se foder! By Seráfa]

Eu não sei porque, mas confio mais nas produções da DC do que da Marvel, e esse crossover me traz alguma esperança de que seja melhor do que os Vingadores. Talvez pelo fato de não integrar um elenco de nomes tão conhecidos. Talvez pelo fato da DC ter aprendido com a trilogia Batman Origins, de que não vale a pena realizar um filme as pressas sem a profundidade que os personagens merecem. Ainda não se sabe ao certo a data que o filme será lançado, então por hora resta aguardar e torcer para que a imprevisibilidade seja uma forte aliada, assim como foi em Guardiões da Galáxia.

Seráfa – Eu discordo de quase tudo, mas como o Pirita é meu amigo jornaleiro, então não tinha como não publicar!

E se você discorda dele como eu, Xingue ele clicando aqui!

 

  • Meteoro de Jirombas

    Eu gosto mais da DC, mas não muito.
    Então eu sou neutro para falar.
    Sabe por que mesmo em desenhos legais para caralho como Liga da Justiça sem Limites os personagens da DC parecem deslocados atuando juntos?
    Porque, tirando Superman e Batman, os outros foram comprados pela editora.
    A DC é na verdade a mescla de três editoras que nasceram separadas: National Allied Publication, Detective Comics, All-American Publications.
    Não há organicidade.
    E deve ser por isso que só os dois grandões atuando juntos vende muito.
    Eu acho que a Warner deveria se concentrar nesses dois num universo e deixar os outros atuando em seu próprio mundo sem querer juntá-los.
    A não ser é claro que eles liguem os poderes dos outros a alguma origem kryptoniana como vinham especulando, ligar os deuses antigos aos kryptonianos que caíram na Terra há milhares de anos. Daria mas organicidade a algo que não tem.

Share This