Xina Gamer – Os melhores consoles chineses que você nunca viu. PARTE 2

Xina Gamer – Os melhores consoles chineses que você nunca viu. PARTE 2

A sabedoria milenar chinesa, aplicada na indústria de games.

 Continuando a saga dos videogames mais “oliginal” da China.

 Como prometido na PARTE 1, estou retornando, e desta vez prepare-se, pois será uma revolução tecnológica após a outra, você vai perder o fôlego, pois vai vai ser bombardeado com os videogames mais terríveis do mundo.

BATTMAN

 Começando a lista, temos o Battman. Não, não é o último lançamento da franquia, Arkham Origins, mas sim o videogame do Batman!
 E não se engane, o console vêm em cores sortidas, afinal, a foto do console na caixa é meramente ilustrativa. No caso desta foto, o console sortido da vez foi a edição especial de natal, todo em verde e vermelho!
 Somente uma empresa “única” poderia criar algo assim.

“Junte o pior filme do Batman, com um console Xbox, dois controles de PSone, uma  pistola Beretta e um cartucho de NES…e Voilà! Um Battman!”

RAMBO TV GAME

 Quando você ouve a palavra Rambo, isso te lembra o quê? Um cara muito foda? Pois bem, junte Rambo e um videogame, e você terá um videogame muito foda!!! E este foi o processo criativo para criar este maravilhoso console.

“Ah, agora sabemos porque o Rambo destruiu todo o vietnam com tanta fúria no segundo filme.”

PS3

 Não sei porque, mas a China gosta mesmo do Playstation 3, pois existem diversas versões melhoradas do mesmo console.
 Quando um PS3 e um FAMICOM (o nintendinho japonês) se encontram, uma nova geração de games surge, apresento-lhes o novo PS3!

“Diferente dos outros, este realmente é produzido pela sony”

“- Me desculpe senhor, mas não possuo registros sobre suporte de um PS3 com problema na entrada de cartuchos.”

POWER GAMES PENGUIN

 Não, nem mesmo o mundo animal está fora das criações inovadoras da China. E neste console, os fabricantes decidiram que não haveria um uso para os analógicos do controle, visto que o controle possui somente uma superfície plana onde deveriam estar os analógicos.

“Um console no formato de pinguim? Mas e o cartucho? Simples, enfia no cu… do console. Isso não é uma piada.”

SUPER MEGASON IV

 Esta com certeza é a caixa mais bem elaborada de todos os consoles.
 E pra melhorar, o console vêm se modernizando desde sua primeira versão que é um nintendinho, até a sua 4º versão. que possui uma carcaça externa de um PSone, mas que ainda roda jogos só de NES. Afinal, vintage está na moda!

“Pelo menos, além da pistola, ele também vêm com um par de hashi’s.”

“A capa diz tudo, isto sim é um Mega Filho! Voando e atirando pelo espaço.”

MEGA DRIVE / SNES

 E a china conseguiu novamente, uma junção da eternas rivais.
 Um híbrido de um Mega Drive com controles de um Super Nintendo. Mas a pergunta principal seria: Ele roda jogos de Mega Drive e de Snes? É claro que não, ele roda somente jogos de nintendinho.

“Novamente a caixa diz tudo, a melhor forma de se divertir com esta aberração, é jogando ela pra fora de um navio.”

V BOX

 Muitas pessoas reclamam que o controle do Xbox 360 é melhor anatomicamente, mas que gostam de um PS3 por ele ter um leitor de Blu-ray.
 Pois bem, foi pensando nesta procura que o V Box foi inventado…bom, mais ou menos. Quem sabe na próxima versão eles acertam?

“Ótimo, um console com o design do Xbox 360 e controles do PS3, nada pode ser pior que isto.”

XBOX

 Já este aqui, possui o design certo de um xbox, até mesmo em seu controle. Porém, para ser algo inovador, foi acrescentado uma tela de lcd, para que você possa jogar sempre que quiser, sem precisar de uma tv. Mas só possui 1 jogo: Tetris.

“Aposto que você não sabia que o X do Xbox servia pra isso. O quê? O seu não faz isso? Então sinto dizer, mas seu Xbox pode ser  um console falsificado.”

TREAMCAST

 Agora isto sim é algo de puro luxo. O console possui uma capa protetora exclusiva, e além de rodar jogos super modernos de NES, ele também funciona como um DVD Player! E se você comprar agora mesmo, ainda recebe um controle remoto totalmente grátis.

“Um combo da Sega: os controles foram pirateados de um Sega Saturno, o nome do Dreamcast e a capacidade de hardware, é o que a Sega possui atualmente.”


POWER PLAYER

 A batalha eterna, um crossover clássico. Não, eu não estou falando de Marvel vs Capcom, mas sim de Nintendo vs Sega.
 E foi com muito esforço, que esta fabricante conseguiu juntar 2 eternas rivais. Com um esforço sobre humano, conseguiram juntar o N64 com um Mega Drive, e o resultado desta junção é o Power Player.
 Porém houveram alguns sacrifícios, pois o esforço necessário para criar este híbrido é tamanho, que não puderam ser feitos os consoles, somente os controles.

“A foto ilustra a batalha entre estas duas empresas com uma foto de Darth Maul lutando contra Obi Wan Kenobi.”



ACTION PAD

 E não é só de videogames, trabalho forçado e pastel que vive a China, pois eles também possuem suas próprias invenções em outras áreas da tecnologia.

 Senhoras e senhores, temos um vencedor hoje! Apresento-lhes o Action Pad! Com o design de um iPad e com o sistema operacional Android, o Action Pad vai ser a nova sensação no mercado de tablets, afinal, até mesmo o Steve Jobs asiático concorda!

 E para confirmar que este é o verdadeiro Steve Jobs asiático, repare nas asas de anjo em suas costas. Steve Jobs faleceu e se tornou um anjo asiático, e dos céus ele criou a sua obra prima, o Action Pad! Uma dádiva dos céus!

“Um tablet vindo do além… meu Deus. Eu choro sangue!.”
 Bom é isso galera. Não prometo por uma parte 3 de consoles da china, porque muitos dos consoles que eu achei em minhas pesquisas, eram cópias dos que foram comentados aqui. Não você não leu errado, “cópias“, pois não basta falsificar o original, temos que copiar o pirata também. 
 Caso você saiba de algum console que não foi comentado aqui, mande uma mensagem pra gente, nos ajude nesta jornada para encontrarmos todos os maravilhosos consoles chineses.
ZÀI JIÀN!!
Xina Gamer – Os melhores consoles chineses que você nunca viu. PARTE 1

Xina Gamer – Os melhores consoles chineses que você nunca viu. PARTE 1

Chintendo Vii e muitas outras maravilhas que a minha terra natal têm para oferecer.

 O banimento que durou quase 14 anos, bloquando as empresas estrangeiras chegou ao fim. Agora empresas como a Sony, a Microsoft, e a Nintendo, poderão produzir seus consoles de videogame na Zona Franca de Shanghai, e vender os mesmos por todo o país.

 Agora que o banimento de videogames está suspenso na China, os impérios de empresas chinesas que produziam seus próprios consoles estão fadados a ruir. Afinal a ausência de empresas estrangeiras como a Sony, a Nintendo e a Microsoft foram o ambiente perfeito para que diversas empresas fabricassem seus modelos “exóticos” de consoles.
  
 Logo, o Mini Polystation 3 vai dar lugar ao verdadeiro PS3, o Chintendo Vii vai perder território para o Nintendo Wii (não sei se esta troca é de tamanha mudança) e o X-Game 360 será esquecido depois que o Xbox 360 começar a ser vendido.
 Mas para que toda esta história de maravilhas criativas não seja esquecida, prestarei minha homenagem para todos estes dispositivos de diversão sem limites aqui:

GAME CHILD

 Já sei, você é pai de uma linda menina, mas se recusa a comprar um Game Boy para ela? Em uma medida sexista e desesperada de evitar conotações erradas e salvá-lá de um futuro Bullying na escola? Pois bem, seus problemas acabaram, compre agora mesmo um Game Child!

 “Pois a única coisa necessária para se divertir com este portátil é: uma criança desesperada, e um pai estúpido.” 

WINTECH

 A segunda geração de videogames portáteis! Desta vez inovamos o mercado dos consoles portáteis! Com o Wintech, você vai poder desfilar com um belíssimo portátil e causar inveja em todos os seus amigos. E para para jogar, é só ligar na TV mais próxima e chamar seus amigos invejosos para se divertir também, afinal, temos que ser generosos.

“Só é portátil quando está desligado, pois para funcionar  precisa de uma fonte e cabos de áudio e vídeo. Genious!”

GTA – GAME THEORY ADMIRAL

 Já jogou GTA? O quê? Voce jogou para PSone, PS2 e PS3 e só? Então você não jogou GTA de verdade ainda. Pelo menos não antes de conhecer este portátil, que por sinal, até o nome da fabricante é um mistério.
Papai, quero ganhar GTA neste natal, você compra?” “É claro que compro filho, afinal eu sou um imbecil.”

NEO DOUBLE GAMES

 Apesar de seu antecessor ser um sucesso, tínhamos que ir além, e criar algo mais inovador! Pois bem, admirem a beleza e sofisticação de um portátil com 2 telas, para você poder jogar 2 jogos diferentes ao mesmo tempo!!

“Agora faz todo o sentido, NDS é de Neo Double gameS! Fui enganado por todos estes anos!” 

  “Street Fighter e Futebol, bem eclético pelo menos.”

 POLYSTATION

 Este é um ícone tão clássico que foram feitas 2 versões, e chegou até a ser comercializado aqui no Brasil devido ao seu enorme sucesso. Apresento a vocês, a versão melhorada do PSone, o Polystation! 
“E com vocês, o Nintendo Polystation… da Namco!”

Cansado de assoprar cartuchos? Na versão Slim do Polystation, ao abrir a tampa você vai encontrar um slot para cartuchos. Ah! a sabedoria milenar chinesa

MINI POLYSTATION 2004

 O sucessor do legado do Polystation, mas desta vez você nem precisa de uma TV para jogar, pois ele possui uma tela de LED embutida, muito melhor do que uma estúpida e inútil bandeja para encaixar dvd’s.

“Com a incrível tecnologia LCD, inspirada em uma calculadora. Afinal, somos asiáticos.”

MINI POLYSTATION 3

 Muito mais inovador que um Playstation 3! O Mini Polystation 3 é único, com sua tela única de lcd embutida ao console, seu controle único e radical com 2 botões e é claro com um único jogo de futebol, afinal qual castigo seria completo sem um jogo de futebol para videogame?
“Porque todos nós sabemos que PS3 significa mini PoliStation 3.”


E o vencedor do dia é:

CHINTENDO VII

 O que Aconteceria se a Polishop resolvesse comercializar consoles de videogame? Suas dúvidas e pesadelos se tornaram realidade! Testemunhem o espetacular fenômeno que é o  Chintendo Wii!!!   
“Eu já não sei mais o que dizer, vejam o vídeo…”


 …pois é galera, isso é tudo por hoje. Semana que vem tem a parte 2 desta incrível jornada ao mundo dos games na China. Não percam!
 E caso tenham alguma sugestão para semana que vem, ou algum console que eu deveria citar, por favor, deixem nos comentários.
ZÀI JIÀN!!!!
Xina Gamer – Rainbow Six Vegas 2

Xina Gamer – Rainbow Six Vegas 2

 Esta semana vou falar sobre um jogo bem antigo, porém ainda muito divertido e único: Rainbow Six Vegas 2, que é um dos meus jogos favoritos de operações táticas de combate.

 Aproveitando que esta semana, como já comentamos antes, foi lançada a notícia de que o último título da franquia, Rainbow Six: Patriots teve um reboot no seu desenvolvimento, gostaria de indicar este jogo, que na minha opinião é um excelente jogo de operações táticas, e que possui uma mecânica muito diferente.

 A História/ Enredo

 Para quem já conhece a franquia, não tem muita coisa nova, mas para quem não conhece aqui vai um breve resumo do que se trata.
 Rainbow é uma unidade internacional anti terrorista fictícia, criada pelo escritor americano “Tom Clancy”. A série de jogos Rainbow Six é uma adaptação da obra literária de Tom Clancy.
 Assim como o primeiro, a premissa do jogo é bem simples: você faz parte de uma unidade anti-terrorista, e o jogo vai te dando diversas missões para que você faça o que sabe fazer melhor, atirar em terroristas.
 Apesar de não possuir um enredo fantástico, com muitas reviravoltas na trama e etc., o jogo possui momentos muito bons, como invadir um prédio de rapel, impedir o armamento de uma bomba em um teatro, resgatar reféns em um galpão abandonado e etc. De modo geral, a falta de um enredo super bem bolado, é compensado pela variedade de missões e de localidades, e principalmente mudando o jogador de cenários abertos para cômodos de um hotel super estreitos, fazendo com que a sua tática de combate não fique sempre na mesma, retirando o risco do jogo se tornar repetitivo.

Os Gráficos

 Por ser um jogo de 2008, não espere muito dos gráficos, mesmo porque, neste período os jogos de Xbox 360 e de PS3 ainda não utilizavam a capacidade gráfica total dos consoles. é de se esperar gráficos simples, texturas simples, e algumas quedas de frame durante explosões e etc.
 Apesar de hoje em dia, os gráficos do jogo serem considerados fracos, na época de seu lançamento, em vista do primeiro Vegas, Vegas 2 possuía um tratamento gráfico muito melhor, e detalhes de luz e sombra que o primeiro Vegas não possuía.
 Se você for um gamer que se importa muito com gráficos de ponta e etc. talvez você fique um tanto descontente com o jogo, porém vale ressaltar que a proposta aqui é a diversão, e os gráficos podem não ser extraordinários, porém não é nada que vá agredir a sua diversão.

 A Jogabilidade/ Controles  

 Uma das coisas que faz com que Rainbow Six Vegas 2 seja um ótimo jogo de tiro tático, são as formas em que você pode ser criativo em certas situações, e diferente de jogos como Call of Duty, aqui em Vegas 2, o seu time é uma peça chave para o avanço de cada trecho da missão.
 Por ser um jogo tático, o avanço nas fases é de forma progressiva e exigem calma. Em jogos de tiro e ação FPS, a sua habilidade e velocidade no gatilho é imprescindível, já que nestes tipos de jogos, você é um exército de um homem só. Já em Rainbow Six, cada tiro faz a diferença, e ao invés de sair correndo descarregando tiros pra todos os lados, aqui a idéia é ganhar terreno nas fases pouco a pouco, de cobertura em cobertura, um inimigo por vez. 
 Entre as muitas funções em Vegas 2, as que valem ser ressaltadas, são:

  •  A habilidade de encostar em paredes, mudando o ângulo da câmera para terceira pessoa, e dando uma visão mais ampla do que está ao seu redor, e que é muito necessária, pois por ser um jogo de tiro tático, sair correndo e pulando, somente vai garantir que você ganhe uma bala na cabeça.  


  •  Equipamentos como óculos de visão noturna, granadas de fumaça, e micro câmeras flexíveis que podem ser introduzidas debaixo das portas, fazem com que você sinta como se fosse um agente da SWAT.


  •  Acrescentando os equipamentos, a invasão de uma sala fechada é algo totalmente estratégico, permitindo que você use a micro câmera para visualizar o interior da sala antes de entrar, e podendo sincronizar ataques de granadas de luz antes da sua invasão, incapacitando brevemente os inimigos.


  • Comandar a sua equipe, para que eles lhe ofereçam cobertura, ou ordenando que eles façam a invasão por uma janela ou porta alternativa, e até mesmo para que eles distraiam o inimigo, dando a chance de você dar a volta nele.


  •  Customizar as roupas, armas, equipamentos e até mesmo as cores dos seus equipamentos.


  •  Sistema único de XP, no qual você ganha jogando tanto online quanto offline, deste modo, independente se você gosta de partidas online competitivas, ou o modo história offline, das duas formas você vai estar ganhando XP e podendo desbloquear novos equipamentos e armas.

 Todas estas características de customização, tipos de ações e abordagem diferenciada, fazem com que o jogo seja uma experiência única para cada jogador, já que as táticas que podem ser criadas dependem somente do seu estilo de jogo, seja ele mais agressivo, ou mais preciso. 

 A jogabilidade em si é bem sólida, as armas reagem de modo preciso, e a movimentação do personagem flui muito bem, apesar do jogo possuir muitos comando, exigindo quase todos os botões do controle, depois de alguns minutos jogando tudo se torna muito natural.   

 O modo Online/ Multiplayer

Assim como em muitos jogos, existem alguns dois modos online, o competitivo e o cooperativo.
 O modo competitivo é aquilo que a gente já conhece, “team death-match”, no qual dois times são formados, e em uma fase tipo arena cada time tenta aniquilar o outro, na busca de mais pontos, e o time que possuir mais pontos ganha. Ou o modo “free for all”, o clássico ninguém é de ninguém, onde todo mundo é seu inimigo, e é cada um por sí contra todos. Porém não indico estes modos, pois em minha experiência no modo competitivo online, presenciei diversos lags no jogo, além de muitos bugs nas fases, e mesmo com uma conexão muito boa, os lags parecem ser imperativos.
 Já o modo cooperativo é uma das grandes diversões do jogo, podendo jogar o modo história com um amigo online, ou até mesmo dividindo a tela “splitscreen”, fazendo aquela velha jogatina entre amigos no sofá de casa.
 Além do modo história, existe um modo chamado “Terrorist Hunt”, no qual são diversos mapas com um certo número de inimigos, e sozinho ou com um amigo, você precisa eliminar todos, e com um número limitado de respawns, exigindo toda a sua calma e trabalho em equipe.

A Conclusão

 Enfim, Rainbow Six Vegas 2 é um jogo que eu indico firmemente e que merece ser jogado, pois possui um estilo tático único, e o fato de poder combinar as táticas durante o jogo com um amigo, esteja ele online, ou sentado ao seu lado no sofá, fazem este ser um jogo que proporciona muita diversão, e que com certeza vai fazer você se sentir o Capitão Nascimento dos games, ao criar novas estratégias para acabar com os milhares de terroristas.
 Rainbow Six Vegas 2 está disponível para Playstation 3, Xbox 360 e PC, seguem os links para compra abaixo, se você ainda não tem, esta é a hora de comprar este excelente título comprando pelos nossos links, e de quebra dar uma forcinha pra gente também.

Disponível para

Xina Gamer – Call of Duty: Ghosts PS3

Xina Gamer – Call of Duty: Ghosts PS3

 Esta semana vou relatar para vocês gamers, a minha experiência em Call of Duty Ghosts, tanto o modo campanha como o modo online competitivo e cooperativo.

 Antes de começar, muitos vão se perguntar o porquê de eu não falar sobre os maravilhosos gráficos do jogo e etc. Pois bem, isto se deve ao preço do maldito PS4 estar muito alto, afinal, um console de R$3.999,00 não é algo que seja sensato, e o pior é saber que enquanto o resto do mundo paga por muito menos pelo mesmo produto, é saber que toda esta diferença de preço se deve ao nosso sistema fiscal, que emprega impostos muito altos, e desencoraja empresas como a Sony a montar fábricas aqui no Brasil, o que talvez facilitasse o preço do console a diminuir no país.

 Por este motivo, fiz uma resenha do que pode ser feito de imediato, que seriam nos consoles da geração atual/passada, o PS3 e o Xbox 360.

  •  O modo campanha.

 Assim como já se esperava, o modo campanha/história, é executado como um eletrizante filme de ação. com muitas cenas de tiroteio, e variando cenários que vão desde batalhas terrestres usando um fuzil, até em partes fora do planeta, no espaço, usando trajes de astronauta e atirando com armas especiais.

 A história do jogo se baseia em uma unidade especial chamada “ghosts“(fantasmas), que segundo
 a mítica que o jogo passa, é um grupo de soldados de elite, que são tão mortais e silenciosos, que são vistos como uma unidade sobrenatural.

 A América Latina é a bola da vez, o enredo desta vez, conta como inimigo, uma fictícia aliança entre os países da América do Sul, que formam uma frente militar que dizima grande parte dos Estados Unidos, e posteriormente se tornando uma super potência mundial.

 Como os países latinos são o destaque da vez, o jogo visita muitas regiões conhecidas por nós, como a costa do Rio de Janeiro, bases militares em Cuba e etc.

 A variedade de missões é muito satisfatória, com fases em baixo da água usando roupas de mergulho e mudando a dinâmica de movimentação do jogador, ou em missões de infiltração, fazendo rapel do lado de fora de um prédio comercial, em batalhas no espaço, se movimentando entre os destroços de estações espaciais, e até mesmo algo que não era visto desde CoD World ar War: batalhas explosivas no controle de um tanque de guerra.

 Um personagem novo está no jogo, porém de uma raça bem diferente, Riley, que é um cão pastor alemão, é um novo companheiro que acompanha você durante o modo história, no qual você interage em certas partes comandando ele através de um controle remoto (algo que não explicam como é possível), porém, depois de certa parte, parece que ele é esquecido e não aparece por um tempo, e chega a voltar depois na história.

 Já os gráficos do modo campanha, não chega a ser ruim, mesmo porque em muitas parte o cenário e o efeito de luz do jogo com certeza superam os jogos anteriores, porém, em certos pontos, eu senti que a textura de alguns personagens ficaram bem mal renderizadas, isso mostra que a versão de PS3 e Xbox 360 perde um pouco da qualidade gráfica, já que é uma versão “portabilizada” dos consoles da nova geração, como o PS4 e o Xbox One.

 Enfim, o modo história continua seguindo a ação cinematográfica que é um dos fortes da série, mas que apesar de continuar com a mesma fórmula, consegue ainda dar uma boa dose de diversão durante a jornada do modo campanha, apesar de alguns tropeços quanto ao gráfico do jogo, mas nada que prejudique de modo crítico a diversão.

  •  Os modos Online
Modo cooperativo: Extinção

 Este modo é uma das grandes novidades de Ghosts. O modo “Extinction” (extinção), combina um pouco do que foi visto no modo Survival de MW3, porém com muitos elementos a mais, e com suporte para cooperatividade online.
 Em resumo, o modo extinção é um modo cooperativo, no qual o jogador deve enfrentar várias ondas de inimigos, podendo usar a ajuda de até quatro outros jogadores online. Uma das vantagens de se jogar com outros jogadores, é que muitas perks podem ser acumuladas entre todos os jogadores, podendo chamar reforços muito mais rápido ao invés de ter de acumular sozinho a quantidade certa de kills para habilitá-las.

 A grande diferença entre o modo Survival de MW3 e o modo extinção de Ghosts, é que em extinção, os inimigos que avançam o campo de batalha em sua direção, não são humanos, mas criaturas alienígenas de diversas formas. O que muda totalmente a dinâmica do jogo, porque as criaturas não se movimentam como humanos, e são muito velozes, o que dificulta a precisão em atirar nos inimigos, e por agirem diferente, não há como tentar segurar um ponto usando “Superessive Fire”(tiros de supressão), já que os inimigos não vão recuar ou se intimidar, mesmo que você descarregue toda a sua munição.
 Recomendo muito este modo, apesar de ser muito difícil de completar todas as fases, e principalmente que você junte mais 3 amigos para jogar, porque além de ser muito mais difícil jogar sozinho, jogar em grupo exige uma grande tática e comunicação entre o seu grupo. Se você procura um desafio depois de terminar o modo história, esta é uma boa pedida.
Modo Competitivo

     Este é o modo que quase todos os jogadores priorizam na hora de comprar um novo Call of Duty. Afinal, é o modo que fez a franquia ser o gigante que ela é hoje, e é o que vai fazer você continuar jogando Ghosts por muito tempo, mesmo depois de terminar o modo campanha.

     É claro que eu poderia ficar falando linhas e mais linhas sobre o modo competitivo, mas vou dar um resumo direto das principais qualidades, afinal também tenho que jogar-lo e não posso ficar aqui para sempre.
     A primeira coisa a salientar, para vocês que ainda não compraram Ghosts, é que o modo competitivo está excelente, com um sistema muito balanceado tanto nas classes como na jogabilidade, e que na minha opinião, parece um mix perfeito entre o multiplayer de Black Ops e Modern Warfare.
     A customização das perks está bem diferente, já que agora você pode selecionar entre uma árvore de habilidades, as perks que você quiser, e estão divididas em muito mais opções. Fazendo com que cada jogador tenha um kit diferenciado e único, fazendo a customização muito mais precisa.

     Por falar em customização, agora é possível customizar muito mais coisas do seu personagem multiplayer, como roupas, capacetes, tipos de rosto e até mesmo o sexo do personagem. Agora as meninas poderão ser reconhecidas pelo seu personagem, e que é uma adição a mais para o público feminino, isto é, até alguns engraçadinhos começarem a fazer personagens femininos, e começarem a fazer aquela velha historinha de namorar caras de clans mais fortes e etc., etc. vocês já sabem do resto.

     O novo movimento de “PowerSlide”(deslizar no chão), muda a dinâmica de movimentação, já que assim como em Black Ops, o movimento de se jogar para frente dificultava que seus adversários conseguissem ter uma mira precisa e imediata, deslizar pelo chão também traz a mesma vantagem, além de ser um ótimo recurso para se usar na fuga, quando você percebe que muitos adversários estão te flanqueando.

     E já que falamos em perks, uma das novas opções disponíveis, é um pastor alemão, que diferente de Riley, quando chamado, acompanha o jogador e ataca os adversários que estiverem próximos.
      

     Por último fica um aviso para os campers: está mais difícil de ficar deitado no mapa. Isso é devido ao cenário poder ser modificado pelos jogadores, o que faz com que se torne um mapa vivo. Talvez inspirado em Battlefield, onde muitas das construções podem ser tombadas, em ghosts, a interatividade com o cenário não é tão grande, mas justamente aqueles pontos que são perfeitos para o camper ficar deitado sem se mexer, são os que podem ser destruídos, como torres e etc. é claro que isso não quer dizer que ninguém mais campera, afinal, eu mesmo encontrei muitos jogadores deitados em lugares estranhíssimos, mas que eles conseguiram adaptar para fazer aquele “Camper Encardido”, talvez esta seja a habilidade de um camper: descobrir ambientes perfeitos, em lugares inimagináveis, para fazer o seu camper.

     Enfim, esta é a minha pequena resenha de Call of Duty Ghosts, espero que tenham gostado. Na verdade, o meu objetivo principal aqui, é tentar convencer os gamers que estavam em dúvida entre comprar o jogo para PS3 ou esperar até comprar um PS4. Então fica a minha dica: comprem, não espere até o PS4, pois o jogo está excelente no PS3, e o modo multiplayer é incrível, e não se preocupe, ainda tem muita gente jogando o modo multiplayer de Ghosts no PS3. 
     É isso aí galera, coloquem suas tocas de caveira, engatilhem seus controles, e até semana que vem!    
       
    Xina Gamer – Teorias da Conspiração em Pokémon.

    Xina Gamer – Teorias da Conspiração em Pokémon.

     Me deparei este final de semana, lendo um post em um fórum sobre teorias da conspiração, e entre os muitos assuntos, resolvi ler sobre as de Pokémon.

     Mesmo sendo uma série de games e desenho animado que eu não acompanho com frequência, me peguei pesquisando e estudando sobre o assunto por mais de 4 horas! 
     
    Para compartilhar um pouco das maluquices que eu encontrei pela internet, aqui vai a “melhor” que eu achei:
    • Guerra pré-Pokémon.
     Segundo a teoria, Pokémon se passa em um mundo pós guerra, tanto na série animada quanto nos jogos de GameBoy Red / Blue. A teoria continua dizendo que durante a guerra entre os Pokémons e humanos, os Pokémons saíram vitoriosos, dizimando quase toda a população humana. Por isso existem mais Pokémons do que humanos no planeta, e o porquê dos humanos viverem em vilarejos distantes. 
     Tanto no começo dos jogos quanto na série animada, você, no caso Ash, mora em um vilarejo, e em casa você é o homem da família. (já que seu pai, assim como muitos outros homens morreram na guerra), e é incumbido a Ash e Gary (que também é orfão por conta da guerra) continuar a pesquisa do doutor Carvalho (que não participou da guerra por ter uma idade avançada e ser um pesquisador especialista em Pokémons, essencial nas pesquisas para conhecer melhor o inimigo).
     No mundo de Pokémon, os efeitos da guerra segundo a teoria, seria de que não existem muitos adultos no mundo, e somente cidadãos que não participaram da guerra: crianças, mulheres e pessoas de idade avançada.
     O que afirma este pensamento é que em cada cidade somente existem as enfermeiras Joy, (já que os médicos foram também para a guerra), e o policiamento é feito pela oficial Jane (que faz o patrulhamento por não existirem outros policiais homens).
     A teoria segue com o pensamento de que durante a grande guerra, os humanos teriam conseguido subjugar os Pokémons elétricos para serem usados como armas, o que explica a aversão natural de Pikachu em obedecer as ordens de Ash.
     Um fato que apoiaria esta linha de pensamento, é que no jogo de Game Boy, o líder de ginásio Lt. Surge, possui uma fala que serve para corroborar a tese: 

     – “Ei Moleque! O que pensa que está fazendo aqui? Você não vai durar muito em combate, com certeza! Eu vou te dizer garoto, Pokemóns elétricos salvaram a minha vida na guerra.”

    • Gary é o Batman.
      Esta teoria, na verdade foi baseada em outra teoria, em uma conversa sobre o assunto entre o Sr. Garu e eu.
      
      A nossa teoria totalmente incoerente, é a seguinte:
     No jogo, você lutou uma primeira vez contra o personagem Gary. 
     Durante a luta você derrota efetivamente o seu pokémon “Raticate”.
     Você nunca se perguntou o porquê Gary nunca mais usou quele pokémon?
     Pois bem seu bastardo, você matou o pobre Pokémon. 
     E desde então Gary jurou ser mais forte do quê você, para que nunca mais nenhum pokémon sofra nas suas mãos o que seu recém falecido Raticate sofreu.
     
    Ou seja:
     
     Alguém tão querido para Gary, morrendo em seus braços de forma fria e violenta, estas semelhanças serviram como gênese para que Gary, se tornasse “o Batman no universo de Pokémon”.
     Cujo objetivo é treinar a ponto que ele seja capaz de derrotar á todos, inclusive você, para que nunca mais um Pokémon tenha de passar pelo que seu Raticate passou. 
      Isto também explica o fato de Ash, na série animada, encarar tudo com muito bom humor, mesmo nas situações mais caóticas, agindo como um psicopata, sem escrúpulos algum, representando “o Coringa” da teoria.
     E o pior: a misty é a Arlequina, pois após ter seu primeiro encontro com Ash em uma batalha, ela nunca mais parou de seguir Ash, mesmo nas piores situações, cultivando um amor doentio a lá “Síndrome de Estocolmo” pelo psicopata.
     Bom galera, isto com certeza não acrescentou nenhum conteúdo útil na vida de vocês, e muito menos para a minha, porém espero que tenha rendido uma parte do que me foi proporcionado durante as horas de leitura e pesquisa: boas risadas.
    Xina Gamer – Injustice Gods Among Us Android/iOS

    Xina Gamer – Injustice Gods Among Us Android/iOS

     Fala galera! Nesta Semana eu vou dar uma indicação de um jogo que estou vivendo ultimamente, o sensacional: Injustice Gods Among Us para Android e iOS.

     Bom, para começar, este é um jogo gratuito, que pode ser baixado no seu smartphone ou tablet. Ele é baseado na versão para consoles, porém ao invés de ser somente um aplicativo interativo, ele é um jogo que se mantém de igual para igual (em matéria de diversão) com a versão de consoles, é claro que com um gráfico inferior ao dos consoles, e com uma jogabilidade diferente.


     Um pouco diferente dos console, nesta versão você encontra uma mistura de card game com lutas, e as lutas são montadas em times de 3 x 3, no qual você pode trocar de personagens durante o combate, adicionando uma estratégia quando se troca de personagem, pois ao trocar de personagem, os personagens que ficam na reserva vão recuperando energia aos poucos.

     Outro ponto importante, é que os personagens são representados por cartas, então conforme você vai abrindo mais cartas de personagens, eles se tornam disponíveis para se selecionar ao montar seu grupo para as lutas. Por serem representados por cartas, é possível abrir cartas de upgrades, que podem ser equipados a uma carta selecionada, aumentando os status de ataque, defesa e etc. As cartas tanto de suporte como as de personagens, podem ser desbloqueadas conforme se avança no jogo, ou compradas em pacotes de “Busters”, usando as moedas recebidas após cada luta.   



    Os gráficos
     O jogo possui gráficos excelentes, mesmo se tratando de um jogo para dispositivos móveis. Ele é muito fiel á versão dos consoles, com cenários bem trabalhados, os personagens muito bem modelados, e as animações dos especiais excelentes. Apesar de algumas texturas ficarem um pouco estranhas durante alguns especiais, não é nada que vá tirar a diversão do jogo.


    A jogabilidade

     Por se tratar de uma versão com a jogabilidade focada na “tela touch”, o jogo lembra muito a mecânica de “Infinity Blade”, onde os ataques são feitos ao deslizar o dedo pela tela, ou tocar nela rapidamente.
     A precisão dos toques está muito bem calibrada no jogo, de forma que não percebi nenhum atraso ou falhas nos comandos, mesmo ao engatar combos, ou misturar golpes com especiais.

     Assim como nos consoles, o jogo conta com golpes especiais para cada personagem. Cada personagem possui uma barra de especial de três níveis, sendo que cada nível é um especial diferente, dando uma boa variedade de golpes.

     Outro bônus é que existem cartas diferentes para o mesmo personagem, que na verdade são roupas diferentes para eles, e cada roupa/carta possuem atributos diferentes. E também possuem um sistema de level, então conforme você vai usando as cartas no combate, o personagem referente a carta recebe pontos de experiência, e vai subindo de level, aumentando seus pontos de status.

    Os Extras

     Como esta versão foi criada não só para se jogar no seu tablet ou smartphone, mas também tem a função de completar a versão dos consoles, ao fazer o login com sua id da Warner, o jogo apresenta vários desafios, que ao serem completados, vão desbloquear conteúdos extras na versão do console quando você fizer o login da sua WBID, como roupas extras, fundos de tela diferentes e etc. E o sistema funciona vice e versa, pois os desafios feitos no console, desbloqueiam conteúdos para a versão móvel.

     Resumindo, eu realmente indico este jogo fantástico, com gráficos incríveis e uma jogabilidade excelente e viciante. Isso somado a esperta sacada de desbloquear itens para a versão de console quando se joga no celular, e vice e versa, faz com que mesmo o cara que resolva jogar primeiro a versão móvel, fique com vontade de jogar a versão para consoles, afinal, a curiosidade de ver o que você desbloqueou em seu celular, para a versão de consoles, é grande demais para passar batido.

      Bom, esta é a minha dica de games desta semana, espero que todos vocês tenham gostado e que joguem de fato este super jogo, afinal ele é de graça, não custa nada